A primeira turma e gente nunca esquece…

Altere o tamanho da fonte:

O curso de extensão “Educação, Cultura e Acessibilidade” (da Faculdade de Educação da UFRGS) que eu e Felipe Mianes estamos ministrando (juntamente com outros professores convidados) está me trazendo uma enorme satisfação e orgulho dos nossos alunos.

Na última terça-feira demos a sétima aula de um total de 12. Fico feliz com os resultados alcançados até agora. E, ao mesmo tempo, com o coração na mão por saber que já passamos da metade do curso. Pois quando uma experiência é boa, sempre queremos dar prosseguimento e queremos que ela se prolongue bastante.

Desde que o curso começou as terças-feiras tornaram-se dias alegres e desafiadores para mim. Apesar das chuvas constantes nas terças-feiras à noite e dos percalços com os equipamentos que não funcionam na Ufrgs, me sinto entusiasmada e motivada para dar aula, encontrar os alunos, trocar experiências e aprender com eles – mesmo após um dia longo com outro trabalho e muitos afazeres.

Antes do curso começar não sabia o que esperar dos alunos, que perfil teriam, se seriam interessados, participativos… Hoje posso dizer que fomos contemplada com uma turma muito especial – de pessoas empenhadas e ávidas por conhecimento.

É a minha primeira experiência como coordenadora de um curso de extensão e como docente da mesma turma ao longo de todo o semestre. Eu já tinha experiência em sala de aula e em seminários, mas não era a mesma situação. Pois sempre dei aula em turmas específicas, aulas sobre uma temática ou outra – sem uma continuidade e uma responsabilidade como estamos tendo agora.É algo prazeroso e instigante planejar um semestre de aula, cronograma e estrutura do curso, pensar no perfil da turma, nas demandas, no crescimento dos alunos…

Nessa última aula – que contamos com a participação preciosa das amigas e audiodescritoras Marcia Caspary e Mimi Aragon – fiquei realmente emocionada. Para mim a audiodescrição é algo muito sério e importante. É algo tocante e que transformou minha vida para melhor desde que conheci o recurso e comecei a estudar o tema mais a fundo.

Ver tantos alunos empenhados, fazendo perguntas e considerações sobre AD pode parecer algo simples e banal. Mas para mim não é. Foi o primeiro contato de todos com audiodescrição.

Vibrei com o esforço e empenho deles em sua primeira experiência na descrição de uma foto. Vi que, de alguma forma, conseguimos tocá-los e instigá-los a pesquisar mais sobre o assunto.

Me sinto realizada por saber que plantamos uma sementinha nessa turma. Uma semente de curiosidade e interesse pela audiodescrição. Talvez dali saíam alguns futuros audiodescritores – roteiristas, narradores ou consultores.

Certamente dali sairão professores melhor preparados e sensibilizados para trabalhar questões de acessibilidade em sala de aula. Profissionais melhor preparados para lidar com essas questões em empresas, museus, bibliotecas, espaços culturais.

Fico honrada em sentir que contribui – e sigo contribuindo com o possível – para que esses alunos multipliquem seus conhecimentos. Fico feliz ao imaginar que pessoas com deficiência poderão ser atendidas ou recebidas pelos alunos do curso e que, certamente, serão muito bem recebidas e atendidas em suas demandas.

Sei que, de alguma forma, noosos alunos – que são pessoas sensíveis e empenhadas – estarão ajudando a construir um mundo melhor. Um mundo com com mais AD, com mais rampas de acesso, com menos barreias arquitetônicas, com mais respeito, com mais educação e mais bom senso no trato com pessoas com deficiência e com mais cultura e conhecimento ao alcance de todos.

Parabéns à nossa turma! Obrigada aos alunos queridos que estão dando sentido ao nosso trabalho e me fazendo ver (de todas as formas) o quanto ainda temos que crescer e evoluir juntos na construção desse mundo mais acessível.

5 Comentários

  • Márcia Ilha Marques escreveu:

    Pois eu fico feliz em ser aluna e em fazer parte desta primeira turma tão heterogênea e tão disposta a compartilhar suas experiências profissionais e/ou pessoais em relação a acessibilidade cultural
    E se como alunos estamos nos empenhando em participar das atividades solicitadas é porque temos dois professores que nos deixam a vontade e que apostam nas nossas possibilidades.

  • Ronise D. Machado escreveu:

    Fico satisfeita também com o curso. A vivência com esses dois professores (Mariana e Felipe) está sendo rica em aprendizagem e sensibilidade… num mundo que precisa também evoluir nessas questões e não apenas em tecnologia, penso ser importante vcs ministrarem outros cursos com o mesmo formato, pois dessa forma capacita e sensibiliza profissionais para lidarem com as diferenças de forma humana em qualquer contexto! Essa experiência do curso está sendo ótima! Parabéns pelas palavras de vcs e dos convidados, que em todas as terças à noite tocam nosso coração e mente para acreditarmos em mudanças e no respeito com o próximo! Abço, Ronise

  • Roxana Barbosa escreveu:

    Se somos empenhados, interessados e participativos é graças aos professores dedicados que nos propiciam o conhecimento e a compreensão sobre a acessibilidade.Realmente as aulas são ricas,emocionantes e produtivas.A cada aula uma nova reflexão.E nem gosto de pensar no fim do curso…Sugiro, também, que vcs venham a ministrar outros cursos como este,pois seria ótimo.Mais uma vez parabéns pelo lindo trabalho Felipe e Mariana…Tenho a certeza de que vcs deixaram marcas lindas em nossas vidas e sou muito grata por isso.Abraços!!!

  • Eu sempre quis a carreira docente, mesmo sabendo de seus percalços e as pedras no caminho.
    Mas, não há dinheiro ou outra coisa que pague a sensação de estar compartilhando com uma turma tão competente, sentindo que tocamos e somos tocados dessa maneira.
    É com uma turma como essa que eu penso: azar de quem não quis ser professor. É muita satisfação e felicidade poder fazer parte desse grupo. É estimulante e gratificante poder ter alunos tão participativos e dedicados. Quanto mais eu convivo com essa turma mais eu acredito que o mundo e a Educação tem jeito. Obrigado aos alunos e à mariana por me fazerem acreditar no inacreditável. Obrigado por tudo, vocês realmente estarão para todo sempre nos nossos corações.

  • Queridos professores, vocês que nos emocionam e nos inspiram. E que bom que as aulas não se resumem à emoção, pois vocês sempre trazem o respaldo teórico para possibilitar que continuemos a aprender sobre essas possibilidades, em nossas jornadas individuais. Agora é esperar pelas apresentações dos trabalhos, estou com a sensação que a turma vai arrasar de novo, hehehehe Bjs!

Deixe uma resposta

Seu email nunca é divulgado.Campos obrigatórios são marcados *